Auto de Natal Coral Municipal – Regência, Liara Krobot – 01

Auto de Natal Coral Municipal de Jaraguá do Sul (SC), 04/12/15 – Regência, Liara Krobot, nas portas do Museu Histórico “Emílio da Silva”, por ocasião dos festejos do Advento e Natal.

Ademir Pfiffer – Historiador

 

Anúncios
Vídeo | Publicado em por | Deixe um comentário

Patrick Wesoloski, novo escritor jaraguaense

Jaraguá do Sul (SC): Patrick Wesoloski, novo escritor jaraguaense, que lançou dia 7 de novembro no Museu Histórico “Emílio da Silva” (MHES), o seu livro: Gabriel! O evento foi no Módulo II, da unidade museológica, cuja editora foi Giostri, sendo proprietário neto do patrono do MHES.
Foi aluno da EEB “Miguel Couto” de Schroeder/SC.
Ademir Pfiffer – Historiador

 

Publicado em EVENTOS | Marcado com | Deixe um comentário

Alex Giostri, o neto do patrono Emílio da Silva no MHES

Jaraguá do Sul (SC), Alex Giostri, o neto do Senhor Emílio da Silva, o  patrono do Museu Histórico “Emílio Silva”, este nas instalações da unidade museológica e explana sua visita ao município, que mantém vínculo de pertencimento.
Ademir Pfiffer – Historiador

Publicado em VÍDEOS | Marcado com | Deixe um comentário

2016 – Exposição Semana da Consciência Negra

Aconteceu em 07 de novembro, na manhã de segunda-feira, na sede desta unidade museológica, Museu Histórico Emílio da Silva, a abertura da Semana da Consciência Negra.
Compareceram ao evento os senhores Dieter Janssen, prefeito; Elson Quil Cardozo, Secretário da Educação; Luís Fernando Olegar , presidente do Compir; Francisco Alves, presidente do Moconevi; Juarez Gomes, presidente do Coneja; Ademir Pfiffer, diretor do Mhes; diretores, professores e alunos.

Histórico

Em 19 de novembro de 2001 eram inauguradas as instalações do Museu Histórico “Emílio da Silva” (MHES), na sede do prédio da antiga Prefeitura de Jaraguá, centro de empoderamento político, desde outubro de 1941, sendo que a partir desta data o espaço foi transformado em uma unidade museológica, tendo como patrono um cidadão afro-brasileiro.
Considerando este indicador significativo para a sociedade jaraguaense, desde 2002, nesta unidade museológica é organizado o evento da Semana da Consciência Negra.
Porém, vale ressaltar, que, em 2013 a Secretaria Municipal de Educação passou a ser parceira do evento anual, articulando a organização da exposição, tendo como base e elemento significativo a Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003.
Dessa forma as unidades escolares se tornaram espaços das atividades multidisciplinar, de processos criativos, da sistematização do conhecimento da geografia, história e cultura da África. Sendo o facilitador do processo pedagógico e reflexivo, o corpo docente de cada unidade escolar.
Em 2013, a Secretaria Municipal da Educação encampou um movimento visando dar maior visibilidade aos processos pedagógicos desencadeado em cada unidade escolar, ligados àquela Lei Federal. Assim, naquele ano uma exposição de culminância dos trabalhos foi organizada no rol de entrada da Prefeitura do Governo de Jaraguá do Sul porém, a mesma ficou restrita à poucos dias da Semana da Consciência Negra.
Posteriormente, os técnicos da Secretaria da Educação articularam diálogo com a instituição museal Emílio da Silva, que resultou na parceria e compromisso de instalação da exposição todos os anos, no espaço de memória e história, na sala temática de exposição temporária, Amadeus Mahfud.
Porém, vale ressaltar, que anteriormente, os eventos organizados no MHES, ao logo desses anos sempre contou com a chancela e participação das entidades representativas como, CONEJA , MOCONEV e as unidades escolares públicas. Assim, através do engajamento dos profissionais da educação, as temáticas também refletia a luta e a história dos afrodescendentes, em território jaraguaense, bem dos heróis nacionais, a exemplo de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro, um momento para relembrar, reconhecer, valorizar e visibilizar a grande contribuição dos afro-brasileiros na formação social, econômica, política e cultural do Brasil e de Jaraguá do Sul.
É no espaço da escola que se realizam ricas reflexões que resultam na confecção de um rico material, revelador da identidade afro-brasileira, permeadas de discussões em defesa da igualdade étnico racial a partir da desconstrução de um preconceito histórico. Os trabalhos das escolas que hoje estão sendo expostos no Museu demonstram a seriedade e comprometimento com o tema, pois são abordados nas escolas municipais na perspectiva multidisciplinar.
Ressaltamos que, Jaraguá do Sul, a rede municipal de educação, é referência para outros municípios catarinense na difusão da Lei 10.639/03. Um orgulho para todos os jaraguaenses.
O MHES dá visibilidade a grande contribuição da etnia negra para o desenvolvimento de nossa cidade, cumprindo assim sua missão que é de valorizar todos os grupos étnicos que contribuíram no desenvolvimento de Jaraguá do Sul.

Ademir Pfiffer- Historiador

Aconteceu em 07 de novembro, na manhã de segunda-feira, na sede desta unidade museológica, Museu Histórico Emílio da Silva, a abertura da Semana da Consciência Negra.
Compareceram ao evento os senhores Dieter Janssen, prefeito; Elson Quil Cardozo, Secretário da Educação; Luís Fernando Olegar , presidente do Compir; Francisco Alves, presidente do Moconevi; Juarez Gomes, presidente do Coneja; Ademir Pfiffer, diretor do Mhes; diretores, professores e alunos.

Histórico

Em 19 de novembro de 2001 eram inauguradas as instalações do Museu Histórico “Emílio da Silva” (MHES), na sede do prédio da antiga Prefeitura de Jaraguá, centro de empoderamento político, desde outubro de 1941, sendo que a partir desta data o espaço foi transformado em uma unidade museológica, tendo como patrono um cidadão afro-brasileiro.
Considerando este indicador significativo para a sociedade jaraguaense, desde 2002, nesta unidade museológica é organizado o evento da Semana da Consciência Negra.
Porém, vale ressaltar, que, em 2013 a Secretaria Municipal de Educação passou a ser parceira do evento anual, articulando a organização da exposição, tendo como base e elemento significativo a Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003.
Dessa forma as unidades escolares se tornaram espaços das atividades multidisciplinar, de processos criativos, da sistematização do conhecimento da geografia, história e cultura da África. Sendo o facilitador do processo pedagógico e reflexivo, o corpo docente de cada unidade escolar.
Em 2013, a Secretaria Municipal da Educação encampou um movimento visando dar maior visibilidade aos processos pedagógicos desencadeado em cada unidade escolar, ligados àquela Lei Federal. Assim, naquele ano uma exposição de culminância dos trabalhos foi organizada no rol de entrada da Prefeitura do Governo de Jaraguá do Sul porém, a mesma ficou restrita à poucos dias da Semana da Consciência Negra.
Posteriormente, os técnicos da Secretaria da Educação articularam diálogo com a instituição museal Emílio da Silva, que resultou na parceria e compromisso de instalação da exposição todos os anos, no espaço de memória e história, na sala temática de exposição temporária, Amadeus Mahfud.
Porém, vale ressaltar, que anteriormente, os eventos organizados no MHES, ao logo desses anos sempre contou com a chancela e participação das entidades representativas como, CONEJA , MOCONEV e as unidades escolares públicas. Assim, através do engajamento dos profissionais da educação, as temáticas também refletia a luta e a história dos afrodescendentes, em território jaraguaense, bem dos heróis nacionais, a exemplo de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro, um momento para relembrar, reconhecer, valorizar e visibilizar a grande contribuição dos afro-brasileiros na formação social, econômica, política e cultural do Brasil e de Jaraguá do Sul.
É no espaço da escola que se realizam ricas reflexões que resultam na confecção de um rico material, revelador da identidade afro-brasileira, permeadas de discussões em defesa da igualdade étnico racial a partir da desconstrução de um preconceito histórico. Os trabalhos das escolas que hoje estão sendo expostos no Museu demonstram a seriedade e comprometimento com o tema, pois são abordados nas escolas municipais na perspectiva multidisciplinar.
Ressaltamos que, Jaraguá do Sul, a rede municipal de educação, é referência para outros municípios catarinense na difusão da Lei 10.639/03. Um orgulho para todos os jaraguaenses.
O MHES dá visibilidade a grande contribuição da etnia negra para o desenvolvimento de nossa cidade, cumprindo assim sua missão que é de valorizar todos os grupos étnicos que contribuíram no desenvolvimento de Jaraguá do Sul.
Ademir Pfiffer- Historiador

Aconteceu em 07 de novembro, na manhã de segunda-feira, na sede desta unidade museológica, Museu Histórico Emílio da Silva, a abertura da Semana da Consciência Negra.
Compareceram ao evento os senhores Dieter Janssen, prefeito; Elson Quil Cardozo, Secretário da Educação; Luís Fernando Olegar , presidente do Compir; Francisco Alves, presidente do Moconevi; Juarez Gomes, presidente do Coneja; Ademir Pfiffer, diretor do Mhes; diretores, professores e alunos.

Histórico

Em 19 de novembro de 2001 eram inauguradas as instalações do Museu Histórico “Emílio da Silva” (MHES), na sede do prédio da antiga Prefeitura de Jaraguá, centro de empoderamento político, desde outubro de 1941, sendo que a partir desta data o espaço foi transformado em uma unidade museológica, tendo como patrono um cidadão afro-brasileiro.
Considerando este indicador significativo para a sociedade jaraguaense, desde 2002, nesta unidade museológica é organizado o evento da Semana da Consciência Negra.
Porém, vale ressaltar, que, em 2013 a Secretaria Municipal de Educação passou a ser parceira do evento anual, articulando a organização da exposição, tendo como base e elemento significativo a Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003.
Dessa forma as unidades escolares se tornaram espaços das atividades multidisciplinar, de processos criativos, da sistematização do conhecimento da geografia, história e cultura da África. Sendo o facilitador do processo pedagógico e reflexivo, o corpo docente de cada unidade escolar.
Em 2013, a Secretaria Municipal da Educação encampou um movimento visando dar maior visibilidade aos processos pedagógicos desencadeado em cada unidade escolar, ligados àquela Lei Federal. Assim, naquele ano uma exposição de culminância dos trabalhos foi organizada no rol de entrada da Prefeitura do Governo de Jaraguá do Sul porém, a mesma ficou restrita à poucos dias da Semana da Consciência Negra.
Posteriormente, os técnicos da Secretaria da Educação articularam diálogo com a instituição museal Emílio da Silva, que resultou na parceria e compromisso de instalação da exposição todos os anos, no espaço de memória e história, na sala temática de exposição temporária, Amadeus Mahfud.
Porém, vale ressaltar, que anteriormente, os eventos organizados no MHES, ao logo desses anos sempre contou com a chancela e participação das entidades representativas como, CONEJA , MOCONEV e as unidades escolares públicas. Assim, através do engajamento dos profissionais da educação, as temáticas também refletia a luta e a história dos afrodescendentes, em território jaraguaense, bem dos heróis nacionais, a exemplo de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro, um momento para relembrar, reconhecer, valorizar e visibilizar a grande contribuição dos afro-brasileiros na formação social, econômica, política e cultural do Brasil e de Jaraguá do Sul.
É no espaço da escola que se realizam ricas reflexões que resultam na confecção de um rico material, revelador da identidade afro-brasileira, permeadas de discussões em defesa da igualdade étnico racial a partir da desconstrução de um preconceito histórico. Os trabalhos das escolas que hoje estão sendo expostos no Museu demonstram a seriedade e comprometimento com o tema, pois são abordados nas escolas municipais na perspectiva multidisciplinar.
Ressaltamos que, Jaraguá do Sul, a rede municipal de educação, é referência para outros municípios catarinense na difusão da Lei 10.639/03. Um orgulho para todos os jaraguaenses.
O MHES dá visibilidade a grande contribuição da etnia negra para o desenvolvimento de nossa cidade, cumprindo assim sua missão que é de valorizar todos os grupos étnicos que contribuíram no desenvolvimento de Jaraguá do Sul.
Ademir Pfiffer- Historiador

 

Aconteceu em 07 de novembro, na manhã de segunda-feira, na sede desta unidade museológica, Museu Histórico Emílio da Silva, a abertura da Semana da Consciência Negra.
Compareceram ao evento os senhores Dieter Janssen, prefeito; Elson Quil Cardozo, Secretário da Educação; Luís Fernando Olegar , presidente do Compir; Francisco Alves, presidente do Moconevi; Juarez Gomes, presidente do Coneja; Ademir Pfiffer, diretor do Mhes; diretores, professores e alunos.

Histórico

Em 19 de novembro de 2001 eram inauguradas as instalações do Museu Histórico “Emílio da Silva” (MHES), na sede do prédio da antiga Prefeitura de Jaraguá, centro de empoderamento político, desde outubro de 1941, sendo que a partir desta data o espaço foi transformado em uma unidade museológica, tendo como patrono um cidadão afro-brasileiro.
Considerando este indicador significativo para a sociedade jaraguaense, desde 2002, nesta unidade museológica é organizado o evento da Semana da Consciência Negra.
Porém, vale ressaltar, que, em 2013 a Secretaria Municipal de Educação passou a ser parceira do evento anual, articulando a organização da exposição, tendo como base e elemento significativo a Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003.
Dessa forma as unidades escolares se tornaram espaços das atividades multidisciplinar, de processos criativos, da sistematização do conhecimento da geografia, história e cultura da África. Sendo o facilitador do processo pedagógico e reflexivo, o corpo docente de cada unidade escolar.
Em 2013, a Secretaria Municipal da Educação encampou um movimento visando dar maior visibilidade aos processos pedagógicos desencadeado em cada unidade escolar, ligados àquela Lei Federal. Assim, naquele ano uma exposição de culminância dos trabalhos foi organizada no rol de entrada da Prefeitura do Governo de Jaraguá do Sul porém, a mesma ficou restrita à poucos dias da Semana da Consciência Negra.
Posteriormente, os técnicos da Secretaria da Educação articularam diálogo com a instituição museal Emílio da Silva, que resultou na parceria e compromisso de instalação da exposição todos os anos, no espaço de memória e história, na sala temática de exposição temporária, Amadeus Mahfud.
Porém, vale ressaltar, que anteriormente, os eventos organizados no MHES, ao logo desses anos sempre contou com a chancela e participação das entidades representativas como, CONEJA , MOCONEV e as unidades escolares públicas. Assim, através do engajamento dos profissionais da educação, as temáticas também refletia a luta e a história dos afrodescendentes, em território jaraguaense, bem dos heróis nacionais, a exemplo de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro, um momento para relembrar, reconhecer, valorizar e visibilizar a grande contribuição dos afro-brasileiros na formação social, econômica, política e cultural do Brasil e de Jaraguá do Sul.
É no espaço da escola que se realizam ricas reflexões que resultam na confecção de um rico material, revelador da identidade afro-brasileira, permeadas de discussões em defesa da igualdade étnico racial a partir da desconstrução de um preconceito histórico. Os trabalhos das escolas que hoje estão sendo expostos no Museu demonstram a seriedade e comprometimento com o tema, pois são abordados nas escolas municipais na perspectiva multidisciplinar.
Ressaltamos que, Jaraguá do Sul, a rede municipal de educação, é referência para outros municípios catarinense na difusão da Lei 10.639/03. Um orgulho para todos os jaraguaenses.
O MHES dá visibilidade a grande contribuição da etnia negra para o desenvolvimento de nossa cidade, cumprindo assim sua missão que é de valorizar todos os grupos étnicos que contribuíram no desenvolvimento de Jaraguá do Sul.
Ademir Pfiffer- Historiador

Aconteceu em 07 de novembro, na manhã de segunda-feira, na sede desta unidade museológica, Museu Histórico Emílio da Silva, a abertura da Semana da Consciência Negra.
Compareceram ao evento os senhores Dieter Janssen, prefeito; Elson Quil Cardozo, Secretário da Educação; Luís Fernando Olegar , presidente do Compir; Francisco Alves, presidente do Moconevi; Juarez Gomes, presidente do Coneja; Ademir Pfiffer, diretor do Mhes; diretores, professores e alunos.

Histórico

Em 19 de novembro de 2001 eram inauguradas as instalações do Museu Histórico “Emílio da Silva” (MHES), na sede do prédio da antiga Prefeitura de Jaraguá, centro de empoderamento político, desde outubro de 1941, sendo que a partir desta data o espaço foi transformado em uma unidade museológica, tendo como patrono um cidadão afro-brasileiro.
Considerando este indicador significativo para a sociedade jaraguaense, desde 2002, nesta unidade museológica é organizado o evento da Semana da Consciência Negra.
Porém, vale ressaltar, que, em 2013 a Secretaria Municipal de Educação passou a ser parceira do evento anual, articulando a organização da exposição, tendo como base e elemento significativo a Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003.
Dessa forma as unidades escolares se tornaram espaços das atividades multidisciplinar, de processos criativos, da sistematização do conhecimento da geografia, história e cultura da África. Sendo o facilitador do processo pedagógico e reflexivo, o corpo docente de cada unidade escolar.
Em 2013, a Secretaria Municipal da Educação encampou um movimento visando dar maior visibilidade aos processos pedagógicos desencadeado em cada unidade escolar, ligados àquela Lei Federal. Assim, naquele ano uma exposição de culminância dos trabalhos foi organizada no rol de entrada da Prefeitura do Governo de Jaraguá do Sul porém, a mesma ficou restrita à poucos dias da Semana da Consciência Negra.
Posteriormente, os técnicos da Secretaria da Educação articularam diálogo com a instituição museal Emílio da Silva, que resultou na parceria e compromisso de instalação da exposição todos os anos, no espaço de memória e história, na sala temática de exposição temporária, Amadeus Mahfud.
Porém, vale ressaltar, que anteriormente, os eventos organizados no MHES, ao logo desses anos sempre contou com a chancela e participação das entidades representativas como, CONEJA , MOCONEV e as unidades escolares públicas. Assim, através do engajamento dos profissionais da educação, as temáticas também refletia a luta e a história dos afrodescendentes, em território jaraguaense, bem dos heróis nacionais, a exemplo de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro, um momento para relembrar, reconhecer, valorizar e visibilizar a grande contribuição dos afro-brasileiros na formação social, econômica, política e cultural do Brasil e de Jaraguá do Sul.
É no espaço da escola que se realizam ricas reflexões que resultam na confecção de um rico material, revelador da identidade afro-brasileira, permeadas de discussões em defesa da igualdade étnico racial a partir da desconstrução de um preconceito histórico. Os trabalhos das escolas que hoje estão sendo expostos no Museu demonstram a seriedade e comprometimento com o tema, pois são abordados nas escolas municipais na perspectiva multidisciplinar.
Ressaltamos que, Jaraguá do Sul, a rede municipal de educação, é referência para outros municípios catarinense na difusão da Lei 10.639/03. Um orgulho para todos os jaraguaenses.
O MHES dá visibilidade a grande contribuição da etnia negra para o desenvolvimento de nossa cidade, cumprindo assim sua missão que é de valorizar todos os grupos étnicos que contribuíram no desenvolvimento de Jaraguá do Sul.
Ademir Pfiffer- Historiador

Aconteceu em 07 de novembro, na manhã de segunda-feira, na sede desta unidade museológica, Museu Histórico Emílio da Silva, a abertura da Semana da Consciência Negra.
Compareceram ao evento os senhores Dieter Janssen, prefeito; Elson Quil Cardozo, Secretário da Educação; Luís Fernando Olegar , presidente do Compir; Francisco Alves, presidente do Moconevi; Juarez Gomes, presidente do Coneja; Ademir Pfiffer, diretor do Mhes; diretores, professores e alunos.

Histórico

Em 19 de novembro de 2001 eram inauguradas as instalações do Museu Histórico “Emílio da Silva” (MHES), na sede do prédio da antiga Prefeitura de Jaraguá, centro de empoderamento político, desde outubro de 1941, sendo que a partir desta data o espaço foi transformado em uma unidade museológica, tendo como patrono um cidadão afro-brasileiro.
Considerando este indicador significativo para a sociedade jaraguaense, desde 2002, nesta unidade museológica é organizado o evento da Semana da Consciência Negra.
Porém, vale ressaltar, que, em 2013 a Secretaria Municipal de Educação passou a ser parceira do evento anual, articulando a organização da exposição, tendo como base e elemento significativo a Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003.
Dessa forma as unidades escolares se tornaram espaços das atividades multidisciplinar, de processos criativos, da sistematização do conhecimento da geografia, história e cultura da África. Sendo o facilitador do processo pedagógico e reflexivo, o corpo docente de cada unidade escolar.
Em 2013, a Secretaria Municipal da Educação encampou um movimento visando dar maior visibilidade aos processos pedagógicos desencadeado em cada unidade escolar, ligados àquela Lei Federal. Assim, naquele ano uma exposição de culminância dos trabalhos foi organizada no rol de entrada da Prefeitura do Governo de Jaraguá do Sul porém, a mesma ficou restrita à poucos dias da Semana da Consciência Negra.
Posteriormente, os técnicos da Secretaria da Educação articularam diálogo com a instituição museal Emílio da Silva, que resultou na parceria e compromisso de instalação da exposição todos os anos, no espaço de memória e história, na sala temática de exposição temporária, Amadeus Mahfud.
Porém, vale ressaltar, que anteriormente, os eventos organizados no MHES, ao logo desses anos sempre contou com a chancela e participação das entidades representativas como, CONEJA , MOCONEV e as unidades escolares públicas. Assim, através do engajamento dos profissionais da educação, as temáticas também refletia a luta e a história dos afrodescendentes, em território jaraguaense, bem dos heróis nacionais, a exemplo de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro, um momento para relembrar, reconhecer, valorizar e visibilizar a grande contribuição dos afro-brasileiros na formação social, econômica, política e cultural do Brasil e de Jaraguá do Sul.
É no espaço da escola que se realizam ricas reflexões que resultam na confecção de um rico material, revelador da identidade afro-brasileira, permeadas de discussões em defesa da igualdade étnico racial a partir da desconstrução de um preconceito histórico. Os trabalhos das escolas que hoje estão sendo expostos no Museu demonstram a seriedade e comprometimento com o tema, pois são abordados nas escolas municipais na perspectiva multidisciplinar.
Ressaltamos que, Jaraguá do Sul, a rede municipal de educação, é referência para outros municípios catarinense na difusão da Lei 10.639/03. Um orgulho para todos os jaraguaenses.
O MHES dá visibilidade a grande contribuição da etnia negra para o desenvolvimento de nossa cidade, cumprindo assim sua missão que é de valorizar todos os grupos étnicos que contribuíram no desenvolvimento de Jaraguá do Sul.
Ademir Pfiffer- Historiador

Aconteceu em 07 de novembro, na manhã de segunda-feira, na sede desta unidade museológica, Museu Histórico Emílio da Silva, a abertura da Semana da Consciência Negra.
Compareceram ao evento os senhores Dieter Janssen, prefeito; Elson Quil Cardozo, Secretário da Educação; Luís Fernando Olegar , presidente do Compir; Francisco Alves, presidente do Moconevi; Juarez Gomes, presidente do Coneja; Ademir Pfiffer, diretor do Mhes; diretores, professores e alunos.

Histórico

Em 19 de novembro de 2001 eram inauguradas as instalações do Museu Histórico “Emílio da Silva” (MHES), na sede do prédio da antiga Prefeitura de Jaraguá, centro de empoderamento político, desde outubro de 1941, sendo que a partir desta data o espaço foi transformado em uma unidade museológica, tendo como patrono um cidadão afro-brasileiro.
Considerando este indicador significativo para a sociedade jaraguaense, desde 2002, nesta unidade museológica é organizado o evento da Semana da Consciência Negra.
Porém, vale ressaltar, que, em 2013 a Secretaria Municipal de Educação passou a ser parceira do evento anual, articulando a organização da exposição, tendo como base e elemento significativo a Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003.
Dessa forma as unidades escolares se tornaram espaços das atividades multidisciplinar, de processos criativos, da sistematização do conhecimento da geografia, história e cultura da África. Sendo o facilitador do processo pedagógico e reflexivo, o corpo docente de cada unidade escolar.
Em 2013, a Secretaria Municipal da Educação encampou um movimento visando dar maior visibilidade aos processos pedagógicos desencadeado em cada unidade escolar, ligados àquela Lei Federal. Assim, naquele ano uma exposição de culminância dos trabalhos foi organizada no rol de entrada da Prefeitura do Governo de Jaraguá do Sul porém, a mesma ficou restrita à poucos dias da Semana da Consciência Negra.
Posteriormente, os técnicos da Secretaria da Educação articularam diálogo com a instituição museal Emílio da Silva, que resultou na parceria e compromisso de instalação da exposição todos os anos, no espaço de memória e história, na sala temática de exposição temporária, Amadeus Mahfud.
Porém, vale ressaltar, que anteriormente, os eventos organizados no MHES, ao logo desses anos sempre contou com a chancela e participação das entidades representativas como, CONEJA , MOCONEV e as unidades escolares públicas. Assim, através do engajamento dos profissionais da educação, as temáticas também refletia a luta e a história dos afrodescendentes, em território jaraguaense, bem dos heróis nacionais, a exemplo de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro, um momento para relembrar, reconhecer, valorizar e visibilizar a grande contribuição dos afro-brasileiros na formação social, econômica, política e cultural do Brasil e de Jaraguá do Sul.
É no espaço da escola que se realizam ricas reflexões que resultam na confecção de um rico material, revelador da identidade afro-brasileira, permeadas de discussões em defesa da igualdade étnico racial a partir da desconstrução de um preconceito histórico. Os trabalhos das escolas que hoje estão sendo expostos no Museu demonstram a seriedade e comprometimento com o tema, pois são abordados nas escolas municipais na perspectiva multidisciplinar.
Ressaltamos que, Jaraguá do Sul, a rede municipal de educação, é referência para outros municípios catarinense na difusão da Lei 10.639/03. Um orgulho para todos os jaraguaenses.
O MHES dá visibilidade a grande contribuição da etnia negra para o desenvolvimento de nossa cidade, cumprindo assim sua missão que é de valorizar todos os grupos étnicos que contribuíram no desenvolvimento de Jaraguá do Sul.
Ademir Pfiffer- Historiador

Histórico

Em 19 de novembro de 2001 eram inauguradas as instalações do Museu Histórico “Emílio da Silva” (MHES), na sede do prédio da antiga Prefeitura de Jaraguá, centro de empoderamento político, desde outubro de 1941, sendo que a partir desta data o espaço foi transformado em uma unidade museológica, tendo como patrono um cidadão afro-brasileiro.
Considerando este indicador significativo para a sociedade jaraguaense, desde 2002, nesta unidade museológica é organizado o evento da Semana da Consciência Negra.
Porém, vale ressaltar, que, em 2013 a Secretaria Municipal de Educação passou a ser parceira do evento anual, articulando a organização da exposição, tendo como base e elemento significativo a Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003.
Dessa forma as unidades escolares se tornaram espaços das atividades multidisciplinar, de processos criativos, da sistematização do conhecimento da geografia, história e cultura da África. Sendo o facilitador do processo pedagógico e reflexivo, o corpo docente de cada unidade escolar.
Em 2013, a Secretaria Municipal da Educação encampou um movimento visando dar maior visibilidade aos processos pedagógicos desencadeado em cada unidade escolar, ligados àquela Lei Federal. Assim, naquele ano uma exposição de culminância dos trabalhos foi organizada no rol de entrada da Prefeitura do Governo de Jaraguá do Sul porém, a mesma ficou restrita à poucos dias da Semana da Consciência Negra.
Posteriormente, os técnicos da Secretaria da Educação articularam diálogo com a instituição museal Emílio da Silva, que resultou na parceria e compromisso de instalação da exposição todos os anos, no espaço de memória e história, na sala temática de exposição temporária, Amadeus Mahfud.
Porém, vale ressaltar, que anteriormente, os eventos organizados no MHES, ao logo desses anos sempre contou com a chancela e participação das entidades representativas como, CONEJA , MOCONEV e as unidades escolares públicas. Assim, através do engajamento dos profissionais da educação, as temáticas também refletia a luta e a história dos afrodescendentes, em território jaraguaense, bem dos heróis nacionais, a exemplo de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro, um momento para relembrar, reconhecer, valorizar e visibilizar a grande contribuição dos afro-brasileiros na formação social, econômica, política e cultural do Brasil e de Jaraguá do Sul.
É no espaço da escola que se realizam ricas reflexões que resultam na confecção de um rico material, revelador da identidade afro-brasileira, permeadas de discussões em defesa da igualdade étnico racial a partir da desconstrução de um preconceito histórico. Os trabalhos das escolas que hoje estão sendo expostos no Museu demonstram a seriedade e comprometimento com o tema, pois são abordados nas escolas municipais na perspectiva multidisciplinar.
Ressaltamos que, Jaraguá do Sul, a rede municipal de educação, é referência para outros municípios catarinense na difusão da Lei 10.639/03. Um orgulho para todos os jaraguaenses.
O MHES dá visibilidade a grande contribuição da etnia negra para o desenvolvimento de nossa cidade, cumprindo assim sua missão que é de valorizar todos os grupos étnicos que contribuíram no desenvolvimento de Jaraguá do Sul.
Ademir Pfiffer – Historiador

Semana da Consciência Negra no Museu Histórico Emilio da Silva de Jaraguá do Sul/SC.

Aconteceu em 07 de novembro, na manhã de segunda-feira, na sede desta unidade museológica, Museu Histórico Emílio da Silva, a abertura da Semana da Consciência Negra.
Compareceram ao evento os senhores Dieter Janssen, prefeito; Elson Quil Cardozo, Secretário da Educação; Luís Fernando Olegar , presidente do Compir; Francisco Alves, presidente do Moconevi; Juarez Gomes, presidente do Coneja; Ademir Pfiffer, diretor do Mhes; diretores, professores e alunos.

Ademir Pfiffer – Historiador

Publicado em VÍDEOS | Marcado com | Deixe um comentário

14ª Semana Nacional dos Museus 2016

Colégio Evangélico Jaraguá

Colégio Evangélico Jaraguá – Grupo Folclórico Sünnros.

DSCN3876

Grupos folclóricos germânicos, Sünnros, Regenwalde e Grunestal.

Publicado em EVENTOS | Marcado com | Deixe um comentário

Consciência Negra – 19 de Novembro

Jaraguá do Sul (SC): “Raízes Africanas de Jaraguá e seus Reflexos na Educação”, exposição instalada no Módulo II, na sala amadeus Mahfud, no Museu Histórico “Emílio da Silva”, e aberta ao público, em 17 de novembro, às 9h.
A data 20 de novembro é dedicado as comemorações da Semana da Consciência Negra. Paulo César da Silva (Fundação Cultural) foi o mestre do cerimonial do evento.
O aluno Lucas Voltolini da EMEF – “Ana Töwel Nagel”, conjuntamente com a sua mãe (instrumento do teclado) entoaram o Hino Nacional Brasileiro.
Ademir Pfiffer – Historiador

 

Jaraguá do Sul (SC): “Raízes Africanas de Jaraguá e seus Reflexos na Educação”, exposição instalada no Módulo II, na sala amadeus Mahfud, no Museu Histórico “Emílio da Silva”, e aberta ao público, em 17 de novembro, às 9h.
A data 20 de novembro é dedicado as comemorações da Semana da Consciência Negra. Paulo César da Silva (Fundação Cultural) foi o mestre do cerimonial do evento.
O aluno Lucas Voltolini da EMEF – “Ana Töwel Nagel”, conjuntamente com a sua mãe (instrumento do teclado) entoaram o Hino Nacional Brasileiro.
Com a palavra, Ademir Pfiffer, historiador; Marcelo Heinz Prochnow (presidente Fundação Cultural); Luiz Fernando Olegário, Chefe da Secretaria da Educação Municipal; Pedro Garcia (vereador) e Jaime Negherbon (vice-prefeito).
Ademir Pfiffer – Historiador

Reflexos na Educação”, exposição instalada no Módulo II, na sala amadeus Mahfud, no Museu Histórico “Emílio da Silva”, e aberta ao público, em 17 de novembro, às 9h.
A data 20 de novembro é dedicado as comemorações da Semana da Consciência Negra. Paulo César da Silva (Fundação Cultural) foi o mestre do cerimonial do evento.
O aluno Lucas Voltolini da EMEF – “Ana Töwel Nagel”, conjuntamente com a sua mãe (instrumento do teclado) entoaram o Hino Nacional Brasileiro.
Com a palavra, Ademir Pfiffer, historiador; Marcelo Heinz Prochnow (presidente Fundação Cultural); Luiz Fernando Olegário, Chefe da Secretaria da Educação Municipal; Pedro Garcia (vereador) e Jaime Negherbon (vice-prefeito).
Raimundo Schwartz, professor de música da Escola Bicho Grilo, no cavaquinho entoou uma linda cancão que refletiu o patrimônio imaterial da música popular brasileira.
Ademir Pfiffer – Historiador

Reflexos na Educação”, exposição instalada no Módulo II, na sala amadeus Mahfud, no Museu Histórico “Emílio da Silva”, e aberta ao público, em 17 de novembro, às 9h.
A data 20 de novembro é dedicado as comemorações da Semana da Consciência Negra. Paulo César da Silva (Fundação Cultural) foi o mestre do cerimonial do evento.
O aluno Lucas Voltolini da EMEF – “Ana Töwel Nagel”, conjuntamente com a sua mãe (instrumento do teclado) entoaram o Hino Nacional Brasileiro.
Com a palavra, Ademir Pfiffer, historiador; Marcelo Heinz Prochnow (presidente Fundação Cultural); Luiz Fernando Olegário, Chefe da Secretaria da Educação Municipal; Pedro Garcia (vereador) e Jaime Negherbon (vice-prefeito).
Paulo da Silva, responsável pelo setor de eventos encerra o evento e convida o público para prestigiar a exposição temática, na sala de exposição temporária, Amadeus Mahfud – piso superior (Módulo II).
Ademir Pfiffer – Historiador

Publicado em VÍDEOS | Marcado com | Deixe um comentário